Gerir e promover a diversidade na sala envolvendo tod@s e cada estudante

Edição: 
Data de início/fim: 
Segunda, 12 Setembro, 2022 - 14:30 - 16:30
Duração (horas): 
2
Nome do(s) Formador(es): 
Catarina Sales Oliveira
Instituição do(s) Formador(es): 
Universidade da Beira Interior
Biografia: 
Catarina Sales Oliveira é professora auxiliar do Departamento de Sociologia da Universidade da Beira Interior (UBI) e investigadora do CIES-IUL (Centro de Pesquisa e Estudos em Sociologia). Os seus interesses da pesquisa são género e cidadania; estudos de mobilidades; transportes e desigualdades; trabalho e organizações. Ela coordenou a elaboração e implementação do plano de igualdade da UBI e pertenceu à Comissão de Igualdade da UBI até fevereiro de 2022.
Vagas: 
65
Descrição: 
Num contexto de cada vez maior diversidade de perfis e contextos dos estudantes universitários, temos frequentemente em sala de aula grupos muito pouco homogéneos. Contudo, muitas vezes tendemos a aplicar a mesma bitola para tod@s, usando metodologias e critérios de avaliação standard e uma planificação de sessões definida em função dos conteúdos e não da aprendizagem. É complexo acionar uma perspetiva de diversidade, porque implicar conciliar o foco no indivíduo com o foco no grupo. Esta formação vai discutir como pode o docente personalizar mais o contexto de sala de aula, envolvendo cada estudante e ganhando um sentido de coletivo mais apurado. Não focamos apenas as diversidades mais evidentes, como ser de outro país de origem ou de outra etnia, mas aquelas que passam mais despercebidas, mas são igualmente factores influentes no processo de aprendizagem dos alunos como identidade de género e/ou condição socioeconómica. Partimos de diversos pressupostos, a saber: a) a docência tem um papel fulcral no processo de aprendizagem dos alunos e da sua ligação à disciplina ou área de estudo; b) de que o curriculum oculto é tão ou mais importante do que o curriculum oficial de uma unidade curricular; c) de que a docência tem estereótipos e crenças como todas as pessoas e que para promover a diversidade é preciso antes do mais ter consciência de como reagimos a esta.