O método Kanban como forma de promover soft skills nos alunos: casos práticos

Edição: 
Data de início/fim: 
Quarta, 11 Outubro, 2023 - 14:30 - 16:30
Duração (horas): 
2
Nome do(s) Formador(es): 
Sara Paiva
Instituição do(s) Formador(es): 
Instituto Politécnico de Viana do Castelo
Biografia: 
Sara Paiva é Professora Adjunta da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Viana do Castelo e doutorada na área de Engenharia Informática pela Universidade de Vigo. Coordena diversos projetos informáticos ao nível do IPVC, onde o planeamento e a gestão assumem uma importância primordial. Tem certificações internacionais na área da Programação Neuro-Linguística (vertente Bandler e Grinder) e também em Coaching, que justificam em grande parte o foco que procura ter para o desenvolvimento das soft skills em ambiente académico.
Vagas: 
100
Descrição: 
O Kanban é um método de gestão de trabalho amplamente usado e que tem vindo ao longo dos anos a ser adaptado a diversos contextos. Pelo potencial que tem na gestão de projetos, abre portas a que a sua utilização tenha benefícios claros em contexto escolar, sempre que as unidades curriculares envolvam a realização de um projeto, que pode ser de natureza variada. Por outro lado, a gestão de tempo é, hoje em dia, uma dificuldade evidente com que os alunos se deparam no decurso da sua formação. O método Kanban, em paralelo com a ferramenta Trello, quando adotados pelo docente como metodologia para planeamento e gestão do projeto da sua unidade curricular, fomenta o desenvolvimento da capacidade de organização e gestão do tempo por parte do aluno. Tratando-se de um projeto constituído por mais do que um elemento, e, portanto, um trabalho de grupo, este tipo de abordagem permite que o aluno potencie a sua capacidade de gestão de uma equipa e que tome a consciência, através de um exemplo prático, do estado atual do projeto e que possa atuar no sentido de recuperar algum atraso existente ou que, por outro lado, possa tomar consciência do bom decurso do trabalho e da possibilidade de se poder dedicar a outras tarefas. Partindo inicialmente da partilha da utilização desta abordagem em várias unidades curriculares de CTeSPs e licenciaturas, pretende-se posteriormente que os formandos possam refletir sobre os projetos que usam nas suas unidades curriculares assim como familiarizar-se com a experiência prática da utilização deste método e da ferramenta Trello.